Tempo de Meia Vida

Meia vida é uma propriedade que, de forma geral, usamos para saber quanto tempo determinados compostos usam para chegar na metade da sua concentração ou massa inicial. Por exemplo, se temos um composto com massa 5 g, ele vai levar um determinado tempo até chegar a 2,5 g, que é a metade de sua massa. Esse tempo chamamos de meia vida, que pode aparecer como t½. Observe o exemplo a seguir:

Alguns elementos como o Bário têm meia vida pequena, isso significa que o Bário-142 levará 10,7 minutos para chegar na metade de sua concentração. Mas existem outros elementos que possuem uma meia vida maior, de anos, ou milhares de anos. O gráfico abaixo representa um elemento que tem meia vida de 30 anos, ou seja, para chegar na metade de sua concentração, ele demora 30 anos. Esse gráfico pode aparecer nas questões de vestibular e ENEM, então, fica ligado!

E daí, pra que serve isso?

O cálculo de meia vida possui uma aplicabilidade muito interessante que é para determinar a idade de fósseis ou outras coisas. Por exemplo, todo ser vivo possui o carbono-14. Ele é um isótopo do carbono-12, aquele que conhecemos bastante. O carbono-14 possui uma meia vida muito longa (5.730 anos), isso quer dizer que até chegar na metade de sua concentração inicial demora bastante tempo. Conseguindo a concentração desse isótopo no que pretendemos determinar a idade, é possível saber quanto tempo ele tem. Esta técnica é eficiente para objetos com mais de 70 mil anos; antes disso, arqueólogos e outros especialistas utilizam outras técnicas.

Fica Ligado

O Santo Sudário é conhecido pelos cristãos como o manto que cobriu Jesus após sua crucificação. Foi utilizada a técnica de datação com carbono -14 e os cientistas descobriram que este tecido tinha sido produzido durante os séculos XIII ou XIV. Alguns cristãos afirmam que fenômenos naturais poderiam ter desenhado a forma de Jesus no tecido. Interessante, não?

Para saber mais, veja também: