O Surgimento do Primeiro Ser Vivo

A aceitação da biogênese levou a um novo questionamento: se todos os seres vivos surgem de outros preexistentes, como surgiu o primeiro? Existem pelo menos três possibilidades levantadas para responder a esta pergunta:

► Criação Divina: força superior cria a vida;

► Origem por evolução química: para essa hipótese, a vida se originou a partir de compostos não vivos mais simples, que acabaram se combinando devido a condições ambientais particulares. Ao longo do tempo, esses composto originaram moléculas orgânicas, como proteínas e gorduras. Quando sistemas compostos por essas moléculas adquiriram a capacidade de se isolar do ambiente (membranas), de se duplicar (reprodução) e realizar reações químicas (metabolismo) para manter sua organização, a vida teria se originado;

► Panspermia: essa hipótese defende a ideia de que a vida ou os compostos necessários para o desenvolvimento dela vieram de outros lugares do universo. Entretanto, independente de isso ter ocorrido ou não, o problema da evolução química da vida continua, mudando apenas o local onde ocorreu primeiro.

A hipótese da evolução química é a mais aceita atualmente. Mesmo porque os seres vivos são formados pela mesma matéria presente em rochas, lagos, estrelas, etc., Simplesmente organizada de maneira diferente e interagindo de formas complexas. Assim, resumindo, de acordo com a Hipótese de Evolução Gradual dos Sistemas Químicos, a vida seria fruto das condições primitivas do ambiente da Terra. Alguns cientistas pioneiros dessa área, na década de 1920, tentaram imaginar como isso teria ocorrido, estudando sobre o passado da Terra e que tipo de ambiente seria necessário para o surgimento de moléculas complexas e para a própria vida se desenvolver. Entre eles, Oparin e Haldane são dois nomes tradicionalmente lembrados.