República

A República Romana era um dos regimes políticos mais bem organizados do mundo antigo. Seu nível de representação era alto, o que quer dizer que, para o bem ou para o mal, a experiência republicana romana repercutia na sociedade. Mas, alto lá! Falar em República romana não é o mesmo que falar em República hoje. Logo vamos entender o motivo.

Em Latim, o idioma falado em Roma nesse período, a palavra república quer dizer, literalmente, “coisa de todos”. Para eles, a república deveria ser uma forma de governo em que todos tivessem possibilidades de tomar decisões. Mas, cuidado, porque apesar de parecer com a democracia grega, era muito diferente. Inclusive porque a coisa de todos não era tão de todos assim…

Apenas os patrícios tinham acesso às decisões políticas. Isso gerou muitos problemas na Roma republicana, muitos conflitos, até que, aos poucos, os plebeus foram conquistando alguns poucos espaços, mesmo sendo a maioria da população. Um desses espaços era o Tribuno da Plebe, em que uma pessoa oriunda da Plebe tinha poderes importantes nas organizações políticas.

Essa república era governada por dois cônsules. Além deles, havia magistrados, pessoas que eram consideradas superiores e que tinham poderes de governar junto com o Cônsul – ou, neste caso, com os dois cônsules existentes.

Nos séculos V e IV a.C., importantes conquistas da plebe foram realizadas na república romana. A Lei das Doze Tábuas é um exemplo, já que, através delas, normas jurídicas foram escritas e organizadas, estabelecendo regras práticas para que abusos contra a plebe não fossem mais realizados. É claro que a lei não causou uma revolução, mas ajudou a definir por escrito o que podia ou não acontecer naquela sociedade.

Foi entre os séculos III e II a.C. que a melhor medida de expansão romana também desencadeou o fim da República.

Expansão Territorial

A partir do ano de 264 a.C., Roma entrou em rota de conflito com Cartago, uma outra cidade importante, localizada na África, que reivindicava o monopólio do comércio marítimo.

Roma saiu como grande vencedora desse conflito que durou mais de 80 anos, reconhecido como “Guerras Púnicas”, e liderou a troca de mercadorias pelo mar. A República romana cresceu de modo estarrecedor e acelerado a partir disso.

De modo geral, as conquistas militares que se desenvolveram nesse período trouxeram muita riqueza para Roma, mas apenas para um grupo minoritário. Isso fez com que muitos grupos se revoltassem, criando um clima de tensão política e desordem por toda a parte. No âmbito das instituições políticas também não foi diferente.