Os Primeiros Humanos

É muito comum ouvirmos por aí que nós, mulheres e homens, descendemos dos macacos, mas será que foi assim mesmo?

Não, nós não descendemos dos macacos! Na verdade, nós e os macacos possuímos um parente em comum, algum espécime que não sabemos exatamente quem é, mas que deu origem aos dois grupos, o nosso e dos macacos. É como se tivéssemos um pai em comum, mas que nunca conhecemos. De acordo com as classificações mais coerentes, podemos dizer que a evolução de um tronco comum de primatas deu origem a dois grupos: os Pongidae e os Hominidae. Do primeiro grupo, os pongidae, originaram-se os grandes macacos que tomaram a forma de gorila, gibão, chimpanzé e orangotango. O segundo grupo, os hominidae, evoluiu até chegar nos Homo sapiens.

Deu para entender?

Vamos conferir o desenho abaixo:

Podemos observar que o ser humano originou-se a partir do grupo hominidae, mas, antes disso, ocorreu um longo caminho evolutivo, vamos conferir?

Australopithecus: Os fósseis desse gênero foram encontrados no continente africano. Estudos apontam que apresentavam crânios de 500 a 650 centímetros cúbicos e que viveram entre 7 milhões e 1,2 milhões de anos atrás. Eram nômades e recolectores, ou seja, andavam em bando e se alimentavam de frutos, folhas e raízes. Faziam parte deste grupo 5 espécies diferentes: Afarensis, Africanus, Anamensis, Garih e Sediba.

Homo habilis: Estes viveram há cerca de 2,5 milhões de anos e estudos indicam que foram contemporâneos dos australopithecus durante anos. Apresentavam características mais avançadas, como o aumento do tamanho dos crânios, entre 800 e 950 centímetros cúbicos. Este gênero criou as primeiras ferramentas. Na real, eles foram muito criativos e desenvolveram a habilidade de lapidar pedras, permitindo a realização de atividades mais rebuscadas para o período, como a caça. Isso fez com que, além das raízes e folhas, se alimentassem de carne.

Homo erectus: Boa parte dos cientistas acredita que surgiram 700 mil anos após os habilis há, mais ou menos, 1,8 milhões de anos. Os seus membros possibilitavam uma postura mais ereta entre os hominídeos e o crânio apresentava um volume de 1.000 centímetros cúbicos. Eles aprimoraram os instrumentos e as ferramentas, e se tornaram hábeis caçadores.

Homo sapiens neanderthalensis: Tudo indica que viveram entre 120 e 35 mil a.C. O crânio apresentava o volume de 1.500 centímetros cúbicos. Essa turma passou a se abrigar do frio nas cavernas e caçavam em bando. Desapareceram a partir da miscigenação com a espécie mais evoluída conhecida como homo sapiens sapiens, ou, se você preferir, o ser humano atual.

Homo sapiens sapiens: Surgiram substituindo os neandertais por volta de 40 ou 35 mil anos a.C. Com a capacidade de linguagem mais avançada e cérebro altamente desenvolvido em relação aos outros gêneros, sobrou para eles ocuparem as várias regiões do mundo. Desenvolveram técnicas mais precisas para a conquista dos alimentos, organizaram uma estrutura social e desenvolveram expressões culturais mais complexas.