Platão

O filósofo e matemático britânico Alfred North Whitehead (1861-1947) costumava dizer que toda filosofia ocidental são notas de rodapé à obra de Platão. A frase expressa a amplitude dos temas tratados por este grego notável, cuja obra é indissociável da de seu mestre Sócrates. Você deve estar familiarizado com a expressão “paixão platônica”. Dizer que um amor ou uma paixão é platônico significa dizer que ele não está realizado e existe apenas no campo das ideias.

Platão contribuiu de maneira impactante para a epistemologia. Distinguiu a opinião verdadeira do conhecimento, mostrando que há uma grande diferença entre dizer que “um homem vai bater à porta” e casualmente um homem bater à porta e dizer a mesma frase podendo justificar a afirmação de modo que se possa estabelecer uma ligação causal entre o que é afirmado e aquilo que de fato acontece. Ou seja: temos muitas opiniões sobre o mundo e várias delas podem eventualmente ser verdadeiras, mas, para que elas não sejam meras opiniões, é preciso justificá-las.

Para Platão, o conhecimento se dá quando se vai além das imagens do sensível e se alcança o conhecimento filosófico das próprias ideias que existem como regra do mundo, essências imutáveis, que alcançamos apenas pela depuração das ilusões sensíveis. O mundo sensível é apenas uma cópia ou sombra da realidade essencial do mundo: as ideias. Perceba que este pensamento, expresso na Alegoria da caverna, integra duas posições distintas da filosofia dos pré-socráticos: a fluidez de Heráclito como racionalização do mundo sensível, e o ser imutável de Parmênides, que se refere às ideias mesmas.

Pense, por exemplo, que existem muitos cavalos no mundo e várias pessoas estão aptas a identificar um cavalo, ainda que os cavalos sejam muito diferentes entre si. Mas, segundo Platão, existe um critério para o próprio cavalo ser um cavalo. Existe uma distinção entre o cavalo que se apresenta aos órgãos sensíveis e a ideia de cavalo que é o critério para que se possa dizer de todos os cavalos que há algo em comum a eles, e, com isso, a filosofia de Platão continua a tratar do tema do sensível e do inteligível.

Platão é o primeiro dos filósofos a legar uma vasta obra cujo registro permite aos filósofos e historiadores compor um quadro mais amplo e preciso tanto de sua biografia quanto de seu pensamento. Sua forma literária mais usual foi o diálogo em que do debate de ideias se extraía uma tese. Você também deve ter notado certas semelhanças entre a filosofia de Platão e a de Sócrates – o que é natural, uma vez que o principal registro literário que temos de um é como personagem na obra do outro.

É com Aristóteles, outro dos filósofos cujos textos foram recuperados, que a Filosofia começará a ser articulada em sua amplitude de temas.

Para saber mais, veja também: