O Núcleo

Presente em células eucarióticas, o núcleo comanda as funções celulares, sendo responsável por tudo que acontece dentro delas. Ele é constituído por carioteca, nucleoplasma, cromatina e nucléolo. As células eucarióticas podem ser anucleadas (hemácias), mononucleadas (células epiteliais), binucleadas (alguns protozoários ciliados) ou multinucleadas (células musculares estriadas). Por não possuírem um agente de controle das funções celulares vitais, as células anucleadas possuem vida curta (cerca de 120 dias).

Carioteca

Formada por duas camadas lipoproteicas com espaço perinuclear entre elas, a carioteca é a membrana que circunda o núcleo, permitindo que ele exista. A membrana externa se comunica com o retículo endoplasmático rugoso e também apresenta ribossomos aderidos. A estrutura presente na carioteca que permite trocas entre o núcleo e o citoplasma são os poros que contêm proteínas que regulam a entrada e a saída de substâncias.

Nucleoplasma e Cromatina

O nucleoplasma é um fluido constituído de íons, vários tipos de cromatina e moléculas de ATP. Nele, estão inseridos os filamentos de cromatina e o nucléolo. A cromatina corresponde às moléculas de DNA associadas às proteínas histonas. Estes materiais são responsáveis pela formação dos cromossomos quando a célula está em divisão celular. Observando-se ao microscópio núcleos interfásicos, que estão no período de vida da célula em que não há divisão celular, corados, verificamos dois tipos de cromatina:

► eucromatina: os filamentos de DNA estão menos condensados (“enrolados” com as histonas) e é onde os genes das moléculas de DNA (regiões específicas do DNA que contêm a informação necessária para que a célula possa fabricar determinadas proteínas) estão mais ativos;

► heterocromatina: os filamentos de DNA estão mais condensados e é onde os genes estão menos ativos.

Nucléolo

É a região mais densa do DNA, uma massa rica em proteínas onde há intensa síntese de RNAr (ácido ribonucléico ribossômico). As regiões do DNA que expressam o RNAr são denominadas regiões organizadoras do núcleo. O RNAr é vital, pois, associado a proteínas específicas, forma o grão de ribonucleoproteínas que irão compor os ribossomos. Estes grãos permanecem no nucléolo enquanto outros grãos estão sendo sintetizados para repô-los quando aqueles deixarem o núcleo.