Mitologia Grega

Zeus, Hera, Poseidon, Afrodite, Hefesto, Apolo, Ares, Ártemis, Atena… Esses são os nomes de alguns deuses dos gregos antigos. Mas que significado era dado a eles naquele mundo?

Em primeiro lugar, quero propor uma provocação: levando em consideração todas as religiões do mundo atual, desde as religiões cristãs até mesmo as politeístas (com vários deuses), pensemos na seguinte questão: você gostaria que alguém lhe dissesse que a sua religião não é real e que ela não passa de um mito inventado para que você acreditasse no que os outros lhe dizem?

Imagino que todos diriam, provavelmente, que não gostariam que suas religiões fossem desmerecidas por outros. Minha provocação vai no sentido de que, para compreender o significado dos deuses gregos para aquele povo, é preciso que compreendamos que os deuses não estavam localizados em uma Mitologia – como muitos dizem e como é muito possível que esteja escrito em algumas provas de vestibulares. A “mitologia” dos gregos era sua forma de cultuar uma religião. A religião tinha uma influência grandiosa no cotidiano daquele povo.

Na história narrada por Homero, em que Gregos e Troianos disputavam o poder, a chamada Guerra de Tróia, o conflito teria sido completamente diferente se não fosse a intervenção dos deuses. Isso não quer dizer que é preciso que acreditemos naquilo ou cultuemos os deuses antigos. Isso quer dizer que devemos compreendê-los! Assim como devemos compreender os deuses de outras pessoas hoje, respeitando a todas e todos.

Para os Gregos, havia uma relação entre deuses e humanos que pouco presenciamos na Idade Moderna. A influência de Zeus era tamanha que efeitos climáticos que hoje consideramos “comuns”, como trovoadas e relâmpagos, eram considerados parte da “ira de Zeus”. Isso pode ser caracterizado como uma religião politeísta até mesmo por conta dos rituais que eram realizados; sacrifícios com animais, orações e a presença de sacerdotes eram muito comuns nas religiões antigas gregas. Por isso, eu tenho um certo receio quando alguém fala de “Mitologia Grega”, assim como quando pessoas falam de “Mitologia Africana”, “Mitologia Asiática”, “Mitologia Indígena”, como se as religiões fossem apenas as principais aceitas pelo Ocidente.

Você já pensou no que quer dizer a palavra “mito”? Dica: o autor Everardo Rocha escreveu um pequeno livro, que vale a pena ler, chamado “O que é Mito”. A partir de leituras assim, podemos nos aproximar um pouquinho mais de questões éticas quando pensamos em mitos, religiões, emblemas e sinais.

Por aqui encerramos a primeira parte de nossa apostila, destinada a entender um pouco do sistema social, político, econômico, cultural e religioso dos povos gregos antigos. Agora, peguemos nossos navios e rumemos para uma outra civilização: a romana!

Para saber mais, veja também: