Os Gêneros Textuais e a Cidade

Além desses gêneros literários que dão conta do uso da palavra, isto é, são a arte da palavra, devemos também observar os gêneros, cada vez mais presentes em nosso cotidiano, que misturam linguagem verbal e linguagem não verbal, nesse caso visual, ou seja, a imagem. Podemos dizer que esse é o caso das propagandas publicitárias, os lambes, os grafitis, os pixos, etc.

Para a leitura desses textos, é fundamental atenção ao contexto em que eles estão inseridos: geralmente a rua. Portanto, observe a circulação desses textos (artísticos ou não) pela cidade, pelas paredes e pelo chão. Perceba a diferença de objetivos de cada um desses gêneros. Por exemplo, o objetivo da publicidade é o de vender um produto, fixar uma marca, já as produções cujo tom é artístico (como intervenções urbanas) têm um potencial mais questionador, problematizador e, até mesmo, subversivo!

Grafiti/ Stencil

Na imagem, uma intervenção de Banksy, já conhecido e consagrado artista de rua britânico. O artista utiliza-se das paredes da cidade para propor reflexões acerca dos mais variados assuntos, desde a condição humana até o cenário político. Nessa arte, em específico, vemos a inscrição “Follow your dreams” [Siga seus sonhos] por baixo de uma cartaz de “Cancelled” [cancelado], o que faz referência aos filmes e musicais que não fazem sucesso e logo são cancelados. Assim, fica implícito pela imagem e o texto que “seguir os seus sonhos” não teve sucesso e, por isso, teve de ser cancelado. Essa ideia é reforçada pela imagem do homem com outros cartazes e um balde de cola na mão.

Pixo

Mais um gênero textual de manifestação urbana é o pixo. Esse, sempre carregado de forte conotação política político, apresenta um grande potencial questionador, o que é facilmente percebido nessa imagem. Em uma parede, o pixador evidencia a necessidade do pixo como forma de expressão de um povo, pois, segundo ele, quando as paredes estão em branco, o povo não está dizendo nada. Além disso, esse pixo representa também uma importante característica do gênero: o embate entre a indivíduo e o Estado, ou seja, a tentativa de desinstitucionalizar os espaços da cidade.

Lambe-lambe

“Lambe” do Coletivo Transverso, um coletivo de poesia e arte urbana.
Disponível em:https://tribarte.blogspot.com/2017/02/o-poema-e-dos-olhos-de-quem-le.html
Data de acesso: 30/09/2019.

O lambe-lambe é uma técnica ligada ao grafite. No entanto, utiliza cartazes como forma de intervenção urbana. Esse gênero pode ser utilizado com diferentes propósitos, desde transmissão de ideias e pensamentos a divulgação de protestos. Assim, o tema apresentado nesse gênero pode variar mais do que os dos gêneros anteriores.

Conclusão

Vimos, ao longo desse material, diversos gêneros textuais. Alguns deles com características de tipologias mais argumentativas, outros mais informativos ou até narrativos. Vimos também que os gêneros textuais estão no nosso cotidiano, manifestados tanto de forma escrita quanto de forma oral nos mais variados meios (na escola, em casa, na internet e, até mesmo, nos muros da cidade!).

Percebemos também que, ao ler o texto de determinado gênero, devemos levar em consideração todos os elementos desse texto, sejam eles verbais, não verbais (imagens, por exemplo) ou verbais e não verbais juntos. Além disso, evidenciou-se a necessidade de percebermos a situação de enunciação em que ele circula! Isso é, devemos observar as intenções autorais, funções textuais e características de cada gênero para que, assim, sejamos capazes de realizar uma interpretação competente do texto!

Para saber mais, veja também: