Fluxo de Matéria e Energia

Os níveis tróficos, anteriormente mencionados, representam a estrutura alimentar de qualquer ecossistema. Eles são compostos por três categorias básicas, unidas pelo mesmo tipo de nutrição: produtores, consumidores e decompositores. Produtores são seres vivos que, na maioria das vezes, fabricam o seu próprio alimento através da fotossíntese, ou seja, são seres autótrofos e disponibilizam energia para a cadeia; consumidores são aqueles que consomem a energia de algum organismo, ou seja, a matéria orgânica que esse organismo produz. Quando essa matéria orgânica é consumida diretamente dos produtores, se comportam como consumidores primários; quando é consumida de outro consumidor, ou seja, indiretamente, se comportam como consumidores secundários, terciários, etc., dependendo do nível trófico em que o consumidor se encontrava.

Os decompositores são os que reciclam a matéria da cadeia alimentar e obtêm, portanto, energia pela decomposição (fermentação) da matéria orgânica; ocupam o último nível de transferência de energia em um ecossistema e formam um grupo especial, que se nutre de elementos provenientes de diferentes níveis tróficos. Este processo libera nutrientes minerais ao solo, que se torna fértil e próprio para o desenvolvimento das plantas (produtoras) que sustentam as cadeias alimentares, fazendo o contrário dos produtores, uma vez que transformam matéria orgânica em inorgânica.

O esquema abaixo representa a organização mais comum de autótrofos e heterótrofos em níveis tróficos (NT). A ação dos decompositores sobre organismos mortos se dá em todos os níveis tróficos.

A energia luminosa do sol, fixada em matéria orgânica (glicose) pelos produtores autótrofos fotossintetizantes é transmitida como energia química através da cadeia alimentar para os consumidores e decompositores.