Fenícios

Ao contrário da região onde se estabeleceram as sociedades hidráulicas, o território dos fenícios não tinha um solo fértil, drenado e propício para a agricultura. A geografia do lugar era formada por um solo estreito e cercado por mar e montanhas. O que produzir nessa situação? Saca essa: existia madeira em abundância nesse território, então, os fenícios se tornaram grandes construtores da indústria naval. Isso mesmo: barcos, jangadas, pesqueiros e pequenos navios mercantes. Como eles não tinham um solo extenso e muito produtivo, produziam artesanatos, ferramentas e objetos do dia a dia para comercializar com outros povos.

Os fenícios criaram o que alguns historiadores chamam de Talassocracia. Respira fundo e mantenha a calma: Talassocracia é o poderio político e econômico adquirido a partir do domínio das rotas comerciais marítimas. Podemos dizer que, por questões de sobrevivência, os fenícios buscaram manter boas relações com outros povos. Além disso, cada cidade fenícia tinha um governo independente (cidades-estados, lembra?) que buscava parcerias comerciais com outros Estados mais poderosos, como o Egito. Essas cidades eram governadas por um rei e um conselho de anciãos e magistrados, dos quais grandes proprietários e comerciantes faziam parte. Dessa forma, não encontramos um Estado forte e centralizador entre os fenícios.