Capitães de Areia – Jorge Amado

Jorge Amado é, talvez, um dos escritores mais populares da literatura Brasileira. Suas obras viraram novelas e filmes e, devido a isso, ele se tornou muito conhecido. Autor que sempre mostrou uma forte empatia com as camadas mais pobres, Jorge Amado trazia em suas obras uma descrição pormenorizadas das formas de vida dos marginalizados pela sociedade. Para escrever Capitães da Areia, ele chegou a dormir algumas noites em um trapiche, para sentir como viviam as crianças em condição de moradores de rua.

Publicado em 1937, Capitães da Areia é um romance que não possui um personagem principal específico; temos personagens principais que são crianças abandonadas e que vivem em um dos cenários mais famosos da literatura Brasileira, o trapiche: uma espécie de casa de madeira aberta que fica na beira de um rio. A narrativa dessa grande obra procura nos causar empatia e sensibilidade em relação à complexidade social. Os personagens, apesar de serem crianças entre 10 e 16 anos, cometem crimes e, muitas vezes, se comportam como adultos cansados. Jorge Amado não esconde as ações criminosas dos Capitães, mas, ao mesmo tempo, mostra que um meio de miséria transforma as pessoas, tirando a sua humanidade.

AMADO, Jorge. Capitães da areia. 4
ed. São Paulo: Livraria Martins, 1947
Disponível em: https://books.google.dj/books/about/Capitães_da_areia.html?hl=fr&id=lqstAAAAYAAJ
Data de acesso: 20/08/2019

Para saber mais, veja também: