Bases

Segundo a teoria de Arrhenius, bases são substâncias que sofrem dissociação iônica na água e liberam o ânion OH-. Representadas pela fórmula XOH, onde X sempre é um metal.

Propriedades

As bases têm um sabor característico adstringente. Você já deve ter comido uma banana que não estava bem madura ainda e sentiu aquele gosto estranho que fez uma secura muito intensa na sua boca; isso é o sabor adstringente!

As bases têm algumas características em comum:

Presença do OH em sua fórmula: sempre escrito da forma XOH;

Ao reagir com ácidos, formam sal e água: é uma reação de neutralização da base pelo ácido;

► Quando são dissolvidas na água, sofrem dissociação iônica e os hidróxidos (OH) são separados dos cátions (metal);

► Conduzem corrente elétrica quando dissolvidas em água;

► São sólidas, iônicas, combinação de metal + ametal;

► Têm ponto de fusão e de ebulição maior do que o dos ácidos;

► Bases devem ser armazenadas em frascos de plástico e não de vidro, pois reagem com o SiO2 do vidro!

Classificação

As bases podem ser classificadas de três formas: número de hidroxilas, solubilidade e força da base.

Número de hidroxilas

Monobases: têm um grupo OH. Ex.: AgOH, NaOH;

Dibases: têm dois grupos OH. Ex.: Ca(OH)2;

Tribases: têm três grupos OH. Ex: Fe(OH)3;

Tetrabase: têm quatro grupos OH. Ex.: Mn(OH)4

Solubilidade

Está relacionada com o metal que compõe a base. Os metais têm uma ordem crescente de solubilidade:

Então, é bem simples de saber a solubilidade da base. Basta olhar para o metal que forma a base: se ele for do grupo 1, por exemplo, a base será solúvel.

Lembre-se! A solubilidade de uma base está relacionada à sua condução de corrente elétrica em uma solução. Assim, quanto mais solúvel for a base, mais ela se dissociará na solução, mais íons terá essa solução e, portanto, a condutividade elétrica será maior!

Força da Base (Grau de Dissociação Iônica)

A força da base está relacionada com a dissociação da base em uma solução. Isso também tem relação com a solubilidade de uma base. Olha só: uma base que é muito solúvel se dissociará mais em uma solução e, assim, teremos mais ânions OH no meio, certo? O que caracteriza uma base é a presença de OH, então, quanto mais OH estiver dissolvido no meio, mais forte será a base!

Alto grau de dissociação → Base solúvel → BASE FORTE

Baixo grau de dissociação → Base insolúvel → BASE FRACA

Fortes: grupo 1

► Médias: grupo 2

Fracas: as demais

Vamos ver alguns exemplos de bases para ver se você entendeu direitinho a classificação?

NaOH: base formada por metal alcalino, é solúvel em água e tem alto grau de dissociação: é uma base forte.

Fe(OH)3: não é metal alcalino nem alcalino terroso, é insolúvel em água e tem baixo grau de dissociação: é uma base fraca.

Assim como os ácidos, as bases também vão ter constante básica e potencial hidroxiliônico, que aqui será pOH, vamos ver:

Constante básica – Kb

XOH → X+ + OH

Portanto, quanto maior Kb, mais forte a base.

Potencial hidroxiliônico – pOH

pOH = – log [OH]

Atenção!!! A base NH4OH (hidróxido de amônio) é um pouco diferente das demais bases:

É produto da ionização da amônia e só existe em uma solução aquosa:

Ela não é formada por metais, mas pelo composto molecular NH4+ (amônio). É a única base que não é formada por metais. É fraca, volátil e se ioniza em água, pois é formado por composto molecular.

Nomenclatura

Nomear bases é bem mais fácil do que nomear ácidos! É só seguir essa regrinha:

Hidróxido de ……… (nome do cátion)

Ca(OH)2: hidróxido de cálcio

► NaOH: hidróxido de sódio

Ba(OH)2: hidróxido de bário

Quando houver mais de um hidróxido para um mesmo elemento, ou seja, o metal que forma a base tem NOX variado, pode-se nomear de duas formas:

► acrescentando o número romano que corresponde à carga do cátion;

► acrescentando o prefixo ico ou oso, lembrando que ico é usado pra carga maior e oso pra carga menor.

Fe(OH)2 – hidróxido de ferro (II) ou hidróxido ferroso
Fe(OH)3 – hidróxido de ferro (III) ou hidróxido férrico
Cu(OH) – hidróxido de cobre (I) ou hidróxido cuproso
Cu(OH)2 – hidróxido de cobre (II) ou hidróxido cúprico

Exemplos do Cotidiano

NaOH (hidróxido de sódio): mais conhecido pelo seu nome popular, soda cáustica. É sólida à temperatura ambiente, mas é uma base extremamente solúvel e muito higroscópica (absorve a umidade do ar), então, com o tempo, pode se tornar um líquido. É uma base muito forte e pode corroer e destruir tecidos vivos, causando queimaduras muito graves na pele. Seu uso deve ser feito sempre com muito cuidado, usando luvas para proteção! Essa base pode ser usada na produção de sabões (principal uso), na limpeza pesada, como auxiliar no desentupimento de pias e ralos (provavelmente alguém na sua casa já precisou usar a soda cáustica!), e também na fabricação de papel, tecidos e corantes.

KOH (hidróxido de potássio): também é conhecida como potassa cáustica. É uma base forte e bem perigosa, pois é tóxica e corrosiva. É muito usada na indústria para fabricação de sabão (produtos de limpeza) e sabonete, já que os sabonetes feitos com potassa cáustica são menos agressivos para pele do que os sabonetes feitos com sódio. É usada também para produzir fertilizantes.

► NH4OH (hidróxido de amônio): também conhecido como amoníaco, é uma base fraca, solúvel e volátil usada para a limpeza doméstica. Além disso, pode ser usada com vários outros fins: produção de tinturas de cabelo, fertilizantes agrícolas, produtos branqueadores de tecidos, detergentes, entre outros. Assim como as outras bases, é tóxico e é necessário ter muito cuidado ao usá-lo!

► Ca(OH)2 (hidróxido de cálcio): é muito usado na construção, no preparo de argamassa para cobrir paredes e pinturas e pra assentar tijolos. Também é chamado de cal hidratada, cal extinta ou cal apagada, porque é obtido a partir da hidratação do óxido de cálcio (CaO), que é a cal virgem ou cal viva.

► Mg(OH)2 (hidróxido de magnésio): forma o leite de magnésia, que é usado como laxante e antiácido.

► Al(OH)3 (hidróxido de alumínio): também é um antiácido.

Para saber mais, veja também: