Arte do Século XX

O século XX foi extremamente produtivo em termos de movimentos artísticos, em sintonia com o próprio desenvolvimento acelerado da ciência e da tecnologia, assim como impulsionado pelo impacto das duas grandes Guerras Mundiais. Por isso, acompanharmos a quantidade de “ismos” que se seguiram, e até aconteciam ao mesmo tempo, pode se tornar uma tarefa exaustiva. Uma alternativa a isso é nos lembrarmos da ideia principal que guiava todas esses movimentos artísticos: o comprometimento com a ruptura com a arte do passado e a proposição de novas formas de se fazer e pensar arte (embora cada movimento artístico tivesse suas especificidades). Podemos nos referir a esses movimentos como Vanguardas Artísticas, ou simplesmente Arte Moderna. Vejamos alguns deles:

Expressionismo

Você provavelmente já deve ter visto essa imagem. Que sensação ela desperta em você? Poderíamos pensar em uma narrativa a partir dela? Perguntas como essas podem nos dar pistas para a identificação do movimento artístico ao qual uma obra pertence. Talvez, O grito seja uma das mais conhecidas obras do Expressionismo. Como o próprio nome do movimento indica, temos, nesta pintura, a ênfase na expressão do personagem principal, registrado no momento de um grito de desespero e pavor. As deformações nos elementos representados, tanto na paisagem, quanto na figura humana, são utilizadas com o intuito de intensificar a carga dramática da cena.

Principal característica do Expressionismo:

► As distorções são utilizadas como modo de expressar as emoções do artista.

Fauvismo

De maneira geral, as cores puras, muitas vezes utilizadas diretamente do tubo de tinta, sem misturas com outras cores, sem efeitos de luz e sombra, são a marca registrada das pinturas fauvistas.

Principal característica do Fauvismo:

► Utilização de cores puras e contrastantes.

Abstracionismo

Muitas pessoas ainda observam as obras abstratas com incredulidade. Comentários como “Isso eu também faço” permanecem frequentes. Porém, ao analisarmos o desenvolvimento da produção artística que vimos até aqui, podemos notar que a pintura abstrata era um caminho praticamente inevitável.

Manet havia proposto que a pintura é, fundamentalmente, tinta sobre tela, e não uma representação fiel da realidade. Pinturas como as de Piet Mondrian levam isso ainda mais adiante. Após um longo período de experimentação e reflexão sobre a prática artística, os artistas abstratos propõem que a pintura não precisa nos contar uma história (como vimos nas imagens anteriores) mas pode ser, simplesmente, cor e forma sobre uma superfície bidimensional (ou seja, que possui duas dimensões: altura e largura). Existem vários tipos de pinturas e esculturas abstratas. Mondrian fez parte de um grupo artístico denominado como De Stijl, que propunha apenas o uso das cores primárias e de linhas retas, horizontais e verticais.

Principal característica do Abstracionismo:

► A arte abstrata remete tão somente às suas próprias formas (linhas, cores, texturas, etc.), e não está ocupada com a representação das coisas que constituem o mundo à nossa volta, tais como paisagens, pessoas, objetos, etc.

Cubismo

Compare a pintura a seguir (Mulher chorando) com as obras expressionistas, vistas anteriormente. Este tipo de comparação pode nos auxiliar a compreendermos melhor as diferenças entre os movimentos artísticos. A dramaticidade que percebemos no Expressionismo está presente, já que a mulher representada está chorando. Porém, o que faz dessa pintura uma obra tipicamente cubista?

A marcante geometrização e os diferentes pontos de vista, representados ao mesmo tempo, são a chave para a identificação da obra. Observe, por exemplo, o rosto da mulher. O nariz foi representado de perfil, mas os olhos foram representados como se estivéssemos vendo um rosto de frente. Desse modo, é como se o artista nos mostrasse dois lados do rosto ao mesmo tempo. As últimas obras de Paul Cézanne, extremamente geometrizadas, e a escultura africana são geralmente apontadas como as principais influências para a criação do Cubismo.

Principal característica do Cubismo:

► Geometrização das formas e pontos de vista simultâneos.

Futurismo

Futurismo nos lembra a palavra futuro. Porém, o que os pássaros na pintura de Giacomo Balla têm a ver com isso?

Os artistas futuristas estavam encantados com as invenções da vida moderna. Dentre elas, a velocidade era a que mais causava impacto sobre eles. Por isso, o movimento dos pássaros, assim como o movimento de um automóvel, lhes chamava a atenção por aquilo que simbolizavam: o ritmo, cada vez mais acelerado, que começou a fazer parte da vida nas grandes cidades. Além disso, os estudos científicos do movimento, que foram possíveis a partir do surgimento da fotografia, também influenciaram as obras futuristas.

Principal característica do Futurismo:

► Representações da velocidade e do movimento como símbolos do mundo moderno.

Dadaísmo

Observe o título da obra e tente identificar que objeto é esse. Isso mesmo, é um mictório. Mas, afinal, por que isso é uma obra de arte? E, além disso, por qual razão ela é considerada umas das mais importantes do século XX? O que pode existir de tão especial em um simples mictório invertido? Ao compreendermos algumas das motivações do artista, talvez possamos compreender um pouco mais sobre a obra e sua importância.

Marcel Duchamp era um artista como muitos outros do seu tempo, e recebeu uma formação artística na qual aprendeu a desenhar e pintar. Mas Duchamp queria propor uma arte totalmente nova, diferente não apenas da arte tradicional, como também das Vanguardas Artísticas. Lembrem-se de que a busca pela novidade era um grande impulso para os artistas daquela época.

Decidido a romper com todas as formas de arte existentes até aquele momento e, com o intuito de provocar e chocar o público, Duchamp comprou um mictório, colocou-o em posição invertida, deu-lhe o título de Fonte e o inscreveu em uma exposição de arte com o pseudônimo de R. Mutt. Surgiam assim os seus ready-mades, ou seja, objetos prontos, escolhidos pelo artista e que, através de uma alteração na sua função original (mictórios não são fabricados para serem obras de arte) e no seu contexto (ao invés de ser instalado em um banheiro, está em uma galeria de arte), passam a questionar o que torna algo uma obra de arte.

Será que é o local onde determinado objeto foi colocado (um museu, por exemplo), mais do que aquilo que o próprio objeto é, que nos faz encará-lo como obra de arte? Ou o objeto se torna obra de arte no momento em que o artista o chama de arte? Ao fazer a arte lançar tais questionamentos complexos sobre ela mesma, temos o princípio da concepção de antiarte.

Com suas obras, Duchamp propõe que a ideia é mais importante do que o fazer manual. Dessa forma, um artista não precisaria necessariamente representar um objeto por meio da pintura, mas sim selecionar esse objeto e colocá-lo em um contexto artístico, onde, consequentemente, ele teria um novo significado e novas interpretações. Importante ressaltar que o Dadaísmo, movimento artístico ao qual Duchamp está vinculado, surge no contexto da Primeira Guerra Mundial. De certo modo, a ironia presente nas obras dadaístas reflete o absurdo e a falta de sentido presentes neste conflito.

Principal característica do Dadaísmo:

A concepção de uma obra arte é mais importante do que o seu fazer manual.

Surrealismo

Quando algo é muito inusitado, inacreditável, é comum que algumas pessoas digam coisas como: “Que surreal!”. Talvez, ao observarmos a escultura de Renné Magritte, na qual a parte superior do corpo humano é substituída por uma gaiola com pássaros, pudéssemos repetir essa expressão de espanto. O Surrealismo, termo que originou a expressão “surreal”, costuma, de fato, nos causar esse tipo de espanto. As imagens criadas pelos artistas surrealistas, sejam elas através de pinturas, ou esculturas, são sempre marcadas por uma atmosfera de mistério, que nos deixa intrigados.

Geralmente, os títulos das obras reforçam ainda mais o enigma apresentado pela imagem, como é o caso da escultura de Magritte, chamada por ele de O terapeuta. Somos, assim, convidados a desvendar os mistérios que existem nestas representações, da mesma forma como tentamos, ao acordarmos pela manhã, buscar algum sentido nas histórias muitas vezes aparentemente absurdas com as quais sonhamos durante a noite.

Vale lembrar que o Surrealismo foi o último movimento artísticos das Vanguardas, e foi muito influenciado pelos estudos de Sigmund Freud a respeito do inconsciente humano. Por isso, são recorrentes as cenas que parecem retiradas de um sonho, ou pesadelo.

Principal característica do Surrealismo:

► Imagens inspiradas no universo dos sonhos e do inconsciente, representadas com precisão fotográfica.

Da Europa aos Estados Unidos: Poderíamos dividir a arte do século XX em dois momentos. O primeiro diz respeito, principalmente, à produção artística européia e vai desde as primeiras manifestações artísticas até a Segunda Guerra Mundial. O segundo, tem início após esse conflito. É quando a arte estadunidense, por favoráveis fatores sociais e econômicos, passa a assumir a supremacia na produção artística internacional.

Expressionismo Abstrato

Tente imaginar como essa pintura foi realizada. A impressão de um emaranhado de linhas e manchas em movimento que a tela nos transmite é resultado de uma técnica desenvolvida por Pollock e chamada de dripping, ou seja gotejamento. Ela consiste em colocar a tela em uma posição horizontal, geralmente estendida sobre o chão, e ao respingar tinta sobre ela, criar os efeitos desejados. É completamente diferente de pintar uma tela na posição vertical!

A imagem abaixo nos dá uma ideia de como era o processo de trabalho de Pollock. A partir dela, podemos perceber que todo o seu corpo está imerso nesta atividade, às vezes circulando em volta da tela, outras até mesmo sobre ela. Dessa forma, é como se a pintura fosse um registro da movimentação do artista.

Já vimos que existem muitas formas de realizar uma pintura abstrata. Compare essa pintura de Jackson Pollock com aquela de Piet Mondrian, que vimos anteriormente. Enquanto a abstração de Mondrian é mais rígida e racional, a de Pollock nos transmite uma sensação de ritmo e espontaneidade, justamente por deixar transparecer toda a gestualidade do artista durante a realização da pintura.

Nesse sentido, ela é mais expressiva do que a de Mondrian, já que parece o resultado dos impulsos do artista (muito embora Pollock afirmasse que suas manchas de tinta eram premeditadas, e não fruto do acaso). O termo Expressionismo Abstrato (também conhecido como Action Paiting, ou Pintura de Ação) surgiu justamente pelo fato de artistas como Pollock utilizarem a carga dramática, própria do Expressionismo, na criação de obras abstratas.

Principal característica do Expressionismo Abstrato:

► Sensação de movimento e expressividade em pinturas abstratas de grandes dimensões.

Arte no vestibular e ENEM

As questões de arte presentes nos vestibulares, e no ENEM, geralmente exigem a identificação das obras e/ou os períodos aos quais elas correspondem. Quanto mais você tiver contato com obras de arte, seja visitando museus, ou até mesmo através de pesquisas pela Internet, maiores as chances de acerto na hora da prova. Existem inumeráveis obras de arte espalhadas pelos museus e galerias pelo mundo todo. Como, então, nos sentirmos preparados para as questões de arte?

Pois bem, é impossível que conheçamos, por exemplo, todas as obras surrealistas. Muitos artistas, não apenas na Europa, mas também em outros países, foram profundamente influenciados pelo Surrealismo. Porém, se as principais características deste movimento forem realmente assimiladas, podemos identificar determinada obra como surrealista a partir da identificação dos seus elementos mais recorrentes, estejam eles presentes em uma escultura, pintura, ou até mesmo em uma fotomontagem (como na imagem ao lado).

Trata-se do reconhecimento sobre o qual falamos no começo deste capítulo. Lembre-se de ficar atento ao período e lugar da obra, e gaste um tempinho para observá-la com cuidado. Boa prova!