A Arte Barroco no Brasil

Para uma melhor compreensão do Barroco desenvolvido no Brasil, é necessário abordarmos algumas das suas características gerais, no contexto internacional. De difícil definição, o Barroco foi um movimento artístico surgido na Europa, no século XVII, e costuma apresentar diferentes características, dependendo do lugar e período onde foi desenvolvido. No entanto, de um modo geral, ele está relacionado com a ideia de excesso, dramaticidade e movimento. Em outras palavras, existe, na Arte Barroca, uma latente teatralidade, assim como diferentes modos de expressá-la.

Barroco Missioneiro

O Barroco Missioneiro, como o próprio nome indica, ocorreu nos Sete povos das Missões, localizado na região sul do país, e é considerado a primeira manifestação do estilo Barroco no Brasil. Esse estilo foi trazido pelos padres jesuítas (também chamados de Missionários Jesuítas), que vieram ao Brasil, durante o período colonial, com a missão de converter ao Cristianismo os povos indígenas que habitavam essa região.

Para isso, construíram cidades sofisticadas, onde havia espaço também para a arte. No entanto, os padres não estavam exatamente interessados na produção artística em si, mas sim na arte enquanto uma ferramenta auxiliar no processo de conversão desses povos.

Nada mais apropriado para isso do que a construção de templos onde os indígenas pudessem ser imersos nos rituais religiosos estrangeiros. Atualmente, restam apenas as impressionantes ruínas dessas enormes construções de pedras, como aquelas de São Miguel das Missões (imagem ao lado). Tais construções, que parecem de formas simplificadas se comparadas à outras manifestações do mesmo estilo, eram planejadas pelos padres e executadas pelos índios.

Da mesma forma que na arquitetura, as esculturas eram realizadas pelos índios, com orientação dos padres. Essa produção consistia, basicamente, na cópia de imagens de obras européias. Um bom exemplo é a escultura em madeira da Imaculada Conceição (imagem ao lado). A imagem foi realizada seguindo os padrões de representação europeus nos panejamentos (dobras das vestes), na posição das mãos e olhar direcionado ao alto, assim como nas três pequenas cabeças de anjos aos seus pés. Contudo, o seu rosto possui traços indígenas. É justamente essa grande mistura de referências internacionais e locais que tornou o Barroco Brasileiro de uma originalidade ímpar.

Dessa forma, o Barroco Missioneiro esteve diretamente associado ao programa de catequização dos indígenas, no qual diferentes manifestações artísticas, como a escultura, a arquitetura, a música, dentre outras, eram utilizadas como ferramentas para o trabalho de catequização.

Como os templos se tornaram ruínas? As disputas por este território, entre Espanha e Portugal resultaram, em 1750, no Tratado de Madri, que cedeu estas terras para Portugal. Padres e guaranis se recusaram a abandonar as Missões, o que culminou no grande massacre conhecido como Guerra Guaranítica, no qual foram mortos milhares de indígenas.

Barroco Mineiro

Outros lugares do Brasil, como, por exemplo, Bahia, Pernambuco e Rio de Janeiro, também possuem importantes obras barrocas. No entanto, nos deteremos aqui no Barroco Mineiro, considerado o apogeu deste movimento artístico no século XVIII.

É nesta região que viveu o mais conhecido artista desse período, Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho. Suas esculturas possuem características muito marcantes, que nos permitem o reconhecimento imediato de sua autoria e que podem ser notadas em sua escultura denominada de Profeta Daniel: cabelos encaracolados, olhos puxados e turbante na cabeça.

Compare essa obra com a Imaculada Conceição, vista anteriormente. A rigidez da Virgem contrasta com a sensação de movimento da obra de Aleijadinho. Essa impressão é obtida por meio da representação de uma das pernas firmemente apoiadas, enquanto a outra está relaxada, proporcionando, assim, a sensação de que o profeta vai dar um passo à frente. Também contribui para isso o modo como as dobras das suas vestes foram representadas.

Além de escultor, Aleijadinho também foi arquiteto. É de sua autoria, por exemplo, a Igreja de São Francisco de Assis, em Ouro Preto, Minas Gerais. Essa igreja é muito representativa do barroco deste período: a parte externa é relativamente simples, enquanto a parte interna é exuberante, decorada com muitos anjos e formas orgânicas (que lembram elementos naturais, como folhas, galhos, sementes, etc.) entalhadas na madeira e recobertas com ouro.

Da mesma igreja, destacamos o detalhe da pintura do teto, realizada por Manoel da Costa Athaide. Embora a pintura siga característica da arte européia, o rosto da Virgem foi elaborado com traços de uma pessoa mestiça, como aquelas que faziam parte do contexto do artista.

Principais características do Barroco no Brasil:

► Arte ornamental e decorativa, produzida para a Igreja, sua principal patrocinadora.

► Mistura do estilo Barroco Europeu com características do povo brasileiro.

► Adaptação aos materiais encontrados no Brasil, como madeira e pedra sabão.