A Mata Atlântica e a Caatinga

A mata Atlântica, ou floresta pluvial tropical, corresponde, mais ou menos, ao domínio do clima tropical, estendendo-se ao longo do litoral desde o Rio Grande do Norte até o Rio Grande do Sul e alargando-se significativamente para o interior em Minas Gerais e São Paulo. Na atualidade, essa vegetação, em que aparecia o Pau-Brasil e plantas de madeira nobre como o Cedro, a Peroba e o Jacarandá, quase não existe, pois grande parte dela (96% de sua área original) já foi dizimada, restando apenas alguns trechos esparsos em encostas montanhosas, como na Serra do Mar. Em novembro de 2002, todo o complexo vegetal da mata Atlântica foi reconhecido como Reserva da Biosfera, pela UNESCO.

Apesar da imensa devastação sofrida, a riqueza das espécies animais e vegetais que ainda se abrigam na mata Atlântica é espantosa. Os níveis de biodiversidade são considerados os maiores do planeta em alguns trechos remanescentes de floresta. Neste bioma encontramos espécies vegetais como a samambaia, o palmito, o jerivá, o jequitibá e inúmeras outras. Há predomínio de vegetação perene, formando uma mata densa e heterogênea.

A Caatinga

A caatinga é uma vegetação típica do clima semiárido do Sertão nordestino. Constitui um tipo de vegetação pobre, com plantas xerófilas, principalmente cactáceas (Xiquexique, Mandacaru, Faveiro). Aparecem também arbustos e pequenas árvores, tais como o juazeiro, a aroeira e a braúna. É uma mata seca que perde suas folhas durante a estação em que há escassez de chuvas, cuja duração é em torno de 9 a 11 meses. Algumas palmeiras não perdem as folhas durante a estação seca.

Quando chove, no início do ano, a paisagem muda muito rapidamente. As árvores cobrem-se de folhas e o solo fica forrado de pequenas plantas. A fauna, que diminuiu durante a estação seca, volta a aumentar. No bioma da caatinga, encontramos grande número de espécies endêmicas, em torno de 380, por isso, este é considerado o único bioma exclusivamente brasileiro.

A paisagem da caatinga é marcada por solos secos e pouco profundos, com poucos rios, na sua maioria temporários. É importante ressaltar outros dois aspectos sobre esse bioma:

Verdém: processo de reverdejamento das caatingas durante a estação chuvosa do ano.

Magrém: estação quente em que as caatingas perdem quase totalmente as folhas.

Para saber mais, veja também: